O CD da aula de inglês pode ser exatamente o que você precisa

By Ana Luiza | Aprenda a Aprender

Nov 25
Print Friendly, PDF & Email

Nota da Ana: para compreender melhor essa dica, leia antes (ou depois) a série Como Falar Inglês.

Alunos na aula de inglêsAcho que de todas as falhas do ensino de inglês atual, a mais gritante pra mim é o fato do professor de inglês não dizer aos alunos toda aula “Ouçam o áudio de hoje em casa, o quanto vocês puderem”. Ou seja, a quase total falta de ênfase na necessidade de exposição constante à língua, para que ocorra a aquisição.

Você, que faz ou fez aula de inglês em escola paga – por favor responda essa enquete:

[yop_poll id=”1″]

Eu vou ficar bastante surpresa se a porcentagem de “Sim” for maior que a de “Não”. E é claro que eu não estou falando de qualquer exposição ao inglês. Professores mundo afora dizem “É preciso ver televisão em inglês! É preciso ouvir rádio! Ver filme sem legenda!” Sabe pra quem isso funciona? Ou para quem já compreende TV em inglês, ou para um perfil muito especial de pessoa, que tem a motivação suficiente de pegar um trecho de diálogo completamente incompreensível e trabalhar em cima daquilo até entender. Tem gente que já aprendeu língua estrangeira assim. Pra maioria das pessoas, ser iniciante em uma língua e ficar vendo filme sem legenda e ouvindo rádio é apenas chato. Por quanto tempo a gente leva uma atividade chata que não dá resultado? Qual é o ganho em ouvir uma língua estranha, que a essa altura é um ruído, e não conseguir atribuir significado ao que se ouve?

Quando eu falo em exposição constante à língua, estou falando em exposição acompanhada de compreensão. Um curso de escola de inglês, bem ou mal, é um ambiente que poderia favorecer essa prática: tem um professor explicando a matéria e os alunos supostamente estão entendendo (eu sei que isso não é sempre verdade…) Quase toda escola de inglês usa livros que acompanham no mínimo um CD em áudio. Assumindo que, durante a aula, o(a) professor(a) use o áudio e os alunos compreendam o que foi usado, pronto. A gente tem aí os dois elementos fundamentais para uma rotina de Listening eficaz: áudio em inglês e que seja compreensível.

Porque professores mundo afora não estimulam rotineiramente os alunos a fazer Listening em casa, no ônibus, onde quer que seja, com esse material que já é deles e que, em teoria, eles já compreendem? Quantos CDs de livro inglês são colocados no fundo do armário, ao fim do período letivo, tendo sido usado uma, talvez três vezes no máximo pelo aluno?

Quanto à primeira pergunta, acredito que a resposta seja – porque não sabem que isso funciona. Muitos professores poderiam fazer Listening para melhorar seu próprio inglês, mas não fazem. É natural, então, que não fiquem recomendando isso aos alunos.

Quanto à segunda pergunta… Pessoal, olha só: o inglês do CD às vezes soa ensaiado, é falado por atores, é todo bonitinho, etc. porque está sendo ensinado a quem sabe pouco ainda. Quando você era bebezinho, sua mãe escolhia, e muito, as palavras que usava para falar com você. Afinal, ela queria que você compreendesse o mais rápido possível. O que ela fazia? Facilitava.

Se você não tem a oportunidade de se mudar para um país nativo do inglês e passar um ou dois anos entre gente que só vai falar inglês com você, sua alternativa é usar o que tem em mãos. Se você não tem recursos para pagar um professor particular para ensinar inglês e conversar com você todo dia, volte-se para o que está ao seu redor e avalie qual é sua segunda melhor opção (the next best thing). Se você não consegue entender ainda os podcasts desse e outros sites, sua melhor opção pode ser o CD do curso de inglês. Tem um professor lá que está sendo pago (mal pago, provavelmente, mas esse é outro assunto!) para te ajudar a compreender a aula.

Se os diálogos do seu livro de inglês são tudo que você consegue compreender nesse momento, então use os diálogos do CD para sua rotina de Listening. Muita gente começou sua trajetória rumo à fluência desse jeito. Não tem nada demais, e ajuda bastante. Quem prosseguir nessa trajetória de aprendizado vai acabar encontrando pela frente expressões, sotaques, gírias, frases mal pronunciadas ou ditas tão rapidamente que não dá pra entender, nervosismo e por aí afora. Eu, que tenho contato e trabalho com inglês há muito tempo, estou em um país novo, com um sotaque com o qual não estava acostumada, e posso dar meu depoimento: ainda tem vezes que eu não pego o que a pessoa está falando.

Tudo tem um começo. Se você está deixando de ter exposição ao inglês “porque o CD do livro é chato/bobo/artificial” e não tem nada pra usar no lugar dele, examine bem os seus motivos. Você quer mesmo aprender inglês?

Referência: Série Como Falar Inglês

Follow

About the Author

Ana Luiza criou um blog de dicas de inglês em 2006, e depois de muito pesquisar o que faz alguém ganhar fluência numa segunda língua, criou seu primeiro curso de inglês em 2009.

  • juliao says:

    ola

  • Jorge Morbeck says:

    A série como falar inglês é realmente demais. Muita fluência e segurança falando a mais pura realidade. Parabéns, Luiza. Demais mesmo!

  • Célio augusto says:

    Legal, depois que fiz o seu curso tenho praticado muito listening, sempre tenho varias series em meu ipod, meu preferido é o Spotlight, pois o áudio é profissional, a narração é lenta e o vocabulário é básico e isto facilita a compreensão em meu nível atual. Também gosto do Elllo que traz muito material narrado por pessoas comuns de diversos países. E meu queridinho é o BBC learning English, esta nos favoritos do meu navegador.

    Aguardamos um próximo módulo do seu curso, ok? :)

  • […] ouço é que quem faz direito começa a falar inglês. Você pode até iniciar seu progresso com o CD do livro de sua aula de inglês. Se continuar achando que o fato de não ter condições de morar nos Estados Unidos ou de […]

  • Maria says:

    Gostaria de expressar a minha imensa satisfação de assistir às aulas online do seu curso regular de inglês. Matriculei- e estou impressionada com o seu comprometimento conosco, alunos. Professora, só mesmo uma pessoa preocupada com o próximo, que se põe no lugar dele, pode fazer um material tão bacana. Você usou de muita sensibilidade e carinho para escrevê-lo, além, é claro, de todo o seu excelente conhecimento. É uma das aulas mais humanas que já vi. Obrigada, professora! Vou devorar esse material .

  • Vera says:

    Ana,
    Quais sites com podcast voce recomenda para fazer listening.
    Pretendo fazer durante o tempo que estou indo e voltando do trabalho.

  • […] O CD da aula de inglês pode ser o que você precisa […]

  • Robson says:

    Olá, Ana.

    Cheguei a estudar inglês pelo o método Kumon, conhece? Aí a grana ficou curta e tive que parar de estudar no Kumon.

    Como tenho uma imensa vontade de aprender o inglês, pesquisando na net, achei um livro que se chama: O inglês tal qual se fala no presente (Oliveira Malta). Conhece? Muito bom, porém cansativo…

    Esses dias ganhei de um conhecido que já saiu pra fora do Brazil um material de inglês CARDINAL INTERNATIONAL que acompanha aparelho de som e fitas para que grave a pronúncia. O mais interessante é que no livro vem um mini CD para que seja plugado o aparelho de som nele e escute a lição. Conhece? Tô achando muito bom!

    Quantos dias da semana é interessante que eu pratique? (tenho muita dificuldade com essa língua)! E quantas horas por dia?

    Só pra registrar, aprendo várias expressões que vc posta no Twitter!

    Lhe agradeço muito por tudo isso,

    Robson

    • Ana Luiza says:

      Robson,
      Não conheço esse material que você mencionou, mas para saber o que recomendo leia a série “Como Falar Inglês”, oK?
      Abs!

  • Diego says:

    Parabéns pelo post, Ana Luiza. Você realmente sabe o que diz. Não tem como refutar qualquer informação do seu texto. Obrigado por compartilhar.

  • Roberto says:

    Ana,
    Poderia me indicar alguns livros que possa adquirir desde o basico até o avançado para aprender sozinho.

    Fui até a livraria sbs e encontrei muitas opções porém a vendedora não soube me informar qual seria ideal para aprender de forma autodidata.

    • Ana Luiza says:

      Roberto,
      Esses métodos não são mesmo feitos para autodidatas :) Eu não saberia o que te indicar, em termos de material para este fim, que você possa encontrar em livraria.

  • Eduardo Falabella says:

    Olá Ana, Muito legal as dicas eu estou super animado para aprender a lingua, já utilizei o metodo de escutar os podcasts sem entender nada… alias só entendo algumas palavras perdidas (risos) confesso que é muito chato e exige muita disciplina. Agora vou tentar estudar baseado no audio da escola..
    Confesso que para aqueles que tem dificuldade se torna uma trarefa difícil e exige muito mais esforço, mas sou teimoso vou continuar me esforçando e escutando os podcasts deste site.

    • Ana Luiza says:

      Legal, Eduardo. Você não vai se arrepender, e se quiser mesmo aprender a língua, não será tão difícil estabelecer essa rotina.

  • Leandro says:

    Sim, quero! E de fato mesmo após 4 anos e meio de curso, só tenho o hábito de assistir filmes e séries, mas os cds dos livros acho que nunca peguei pra ouvir em casa. Se talvez tivesse feito isso e praticado como vc aconselha o inglês compreensível, minha desenvoltura na língua provavelmente seria melhor. Obrigado pelo texto.

  • Raymundo de Jesus says:

    Ana,

    Eu estou fazendo um curso de inglês em escola paga e muito
    do que você fala aplica-se a esse Curso. Quando fica muito
    difícil entender eu deixo para depois, para não atrazar a lição
    seguinte, e novas dúvidas podem surgir e às vezes somam-se às
    anteriores. Raramente retorno a uma lição muito antiga. É
    a isso que você se refere quando fala do ” CD do curso “?

    • Ana Luiza says:

      Raymundo,

      Eu quis dizer o CD que vem junto com o livro utilizado em aula, que contém os áudios das lições.

      • Raymundo de Jesus says:

        Obrigado, Ana, por esclarecer.
        A tudo o que você e ourtros professores nos orientam, eu gostaria de acrescentar que em exercícios
        do tipo “Teste o seu inglês, Expressões com…”, a gente lê mentalmente, escolhe a opção correta e
        perde uma boa oportunidade de praticar o inglês falado. Minha sugestão é, se está em inglês, então
        leia em voz alta.

        Raymundo

  • paulo says:

    that’s what I Tell each one when they ask me What should they do in order to improve their english skills.
    But I don’t know why they don’t believe in me at all.

    listen as much as you can

  • Simone says:

    Olá Ana Luiza, sou leitora assídua de seus posts já há algum tempo, e depois que descobri a série Como falar inglês a luzinha acendeu na cabeça, sabe como é? Estudei muito tempo em escola de idiomas mas, como você disse, fazia uso da fita do curso (desculpe mas sou do tempo da fita cassete) somente pra completar os exercícios do livro, resultado: muita gramática e nada de fluência. Cursei por quase 7 anos e posso te garantir saí de lá com um inglês sofrível, fluência mínima e muita frustração. Aí você escuta piadas do tipo: nossa estudou tanto tempo e não fala nada…complicado. No começo achei realmente que a culpa era toda minha por ter sido relapsa com meus estudos, porém passado algum tempo e depois que li seu texto sobre o uso do listening compreensível, percebi que, sim, faltou um pouco de empenho meu, mas também faltou preparo dos professores em cobrar e mostrar que esse (a prática do listening) era um ponto importante e crucial pra aquisição da língua. Hoje estudo inglês on-line, pratico muito listening compreensível e te digo que minha pronúncia e minha fluência melhoraram a olhos vistos. Ainda falta muito pra atingir a proficiência, mas estou orgulhosa de mim por cada conquista, pois a gente sabe, aprender uma nova língua depois de uma certa idade (tenho mais de 40 anos) não é nada fácil. Obrigada por seus textos esclarecedores, espero aprender muito mais com você aqui no blog. Abraços desde São Paulo.

    • Ana Luiza says:

      “Hoje estudo inglês on-line, pratico muito listening compreensível e te digo que minha pronúncia e minha fluência melhoraram a olhos vistos”

      Muito obrigada por deixar esse depoimento aqui, Simone. Parabéns pelo progresso, e continue por aqui!

    • Patricia says:

      Olá Simone! Só hoje estou vendo este post. Qdo eu estudei, não me lembro de professores cobrarem que ouvíssemos mais a língua. E como sei que é essencial, básico (pois foi assim que aprendi e hoje sou professora de inglês), eu cobro sempre de todos os meus alunos. Mas, infelizmente, vou te dizer agora o meu lado da moeda: não adianta nada as minhas cobranças. Eu dou até a sugestão de colocarem os audios nos celulares, em mp3 players e nunca vejo nenhum deles fazer isso e só usam a velha desculpa da falta de tempo. É desanimador! Um abraço!

  • Iana says:

    Muito legal. Eu posso dizer que essas dicas dadas pela Ana ajudam bastante. Obrigada

  • André says:

    Post excelente! ( as always). Realmente tudo isso que você falou é verdade. Eu dou aulas de inglês em curso, e eu sou muito chato quanto ao uso do Cd. Eu tenho percebido que, eu preciso fazer a minha parte, que é indicar o Cd e tocá-lo e estimular os alunos a fazerem o listening em todos os lugares possíveis. Uma coisa que têm dado muito certo comigo é fazer listening das músicas que eles gostam de ouvir. É um estilo “fill in the blanks” e eles estão amando isso! O caminho realmente é esse e o inglês deles está melhorando muito! obrigado pelo post.

    Regards,

    André

  • >